Janeiro 2017 - Barricada de Livros

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Diário de Uma Escrava
janeiro 12, 2017 15 Comments

Diário de Uma Escrava é um livro nacional lançado ano passado pela editora DarkSide Books. Fui cativada pela capa e acabei me surpreendendo bastante com a história. O livro narra em forma de diário a história de Laura, uma garota que aos 15 anos que foi sequestrada e jogada num buraco por um homem que todos consideravam ser um “cidadão do bem”, a quem ela chama de Ogro.

Laura nos mostra sua vida confinada naquele lugar em situação precária e todas as horríveis experiências com aquele desconhecido homem. Apesar de a premissa partir do formato de diário, a autora depois de um tempo começa a intercalar o diário de Laura com uma narrativa em 3ª pessoa com os acontecimentos fora do cativeiro. O que acaba sendo um ótimo recurso para nos mostrar mais sobre como as decisões do sequestrador estão sendo vistas pela sociedade.

A narrativa começa com Laura já em cativeiro por mais de quatro anos, ela então nos mostra um pouco de como é sua rotina de forma até despreocupada pois depois de tanto tempo naquela situação, ela já normalizou tudo que lhe acontece, por mais horrível que seja, como ao narrar um dos estupros diários de forma como se já nem ligasse. É terrível. Devo ressaltar que as narrações dela perante todo o abuso sofrido é feita de forma para realmente chocar o leitor, o que deve ser levado em consideração na escolha da leitura caso isso seja um gatilho para o leitor, eu mesma precisei parar a leitura em vários momentos.

Laura passa boa parte do livro divida entre ter esperanças de conseguir fugir e aceitar que ela vai acabar morrendo naquele lugar. Assim como depois do Ogro ter tido um certo descontrole e atacar garotas de forma precipitada, ela acaba entrando num dilema e não saber exatamente o que sente em relação aquela pessoa já que ao mesmo tempo em que ele a humilha e a oprime e ameaça, ele também cuida dela quando necessário. É uma personagem complicada e difícil de entender e em alguns momentos não me senti no direito de julgar as decisões dela. Temos a mania de querer julgar os personagens que lemos por simplesmente termos as "ferramentas" necessárias, e isso fica ainda mais fácil quando a situação que a personagem se encontra é uma situação menos real ou simples. Mas esse não é o caso de Laura.


A situação dela é próxima da nossa realidade e lendo esse livro eu pude refletir em como a gente não quer ver isso. Mesmo quando há casos semelhantes a gente acaba tentando se enganar. Precisamos abrir os olhos para o que acontece a nossa volta. Chegando mais perto da nossa realidade, o que está presente no caso fictício de Laura é o mesmo que podemos encontrar em casos reais e parecidos com esse: violência contra mulher. E não podemos fingir que violência assim apenas está presente em casos extremos como esse, está nos detalhes. Há diversas formas de violentar uma mulher. 

O livro possui uma escrita simples e objetiva o que contribui muito para a história ser nua e crua. E apesar de ter lido algumas resenhas negativas antes de ler, consegui ler sem pensar muito nisso e gostei bastante. Mas ainda assim, acredito que o tema poderia ter sido desenvolvido de forma uma pouco mais cuidadosa e não simplesmente para chocar. O final também deixou a desejar pois eu esperava um pouco mais da personagem. Mas em suma, a autora soube entregar o que pretendia: uma história chocante e que tem o poder de prender o leitor.

Autora: Rô Mierling
Editora: DarkSide Books
Ano: 2016
Páginas: 217
Reading Time:

@linelanis