últimas resenhas

27 agosto 2018

Umbrella Academy: Suíte do Apocalipse, de Gerard Way e Gabriel Bá (#52)

| |
Título original: Apocalypse Suite #s1-6
Série: Umbrella Academy #1
Autor: Gerard Way e Gabriel Bá
Editora: Devir
Ano: 2009
Páginas: 192
Para saber mais: Goodreads
COMPRAR
Sinopse: Em um inexplicável evento, quarenta e três crianças foram geradas espontaneamente por mulheres que não apresentavam sinais de gravidez. Sete dessas crianças foram adotadas por Sir Reginald Hargreeves e formaram a Umbrella Academy, uma família disfuncional de super-heróis com poderes bizarros. Em sua primeira aventura, essas crianças enfrentam uma enlouquecida Torre Eiffel. Quase uma década depois, a equipe se separa, mas esses irmãos desiludidos se reúnem bem a tempo de salvar o mundo outra vez.


Já deixo avisado que esse post vai ser bem fangirl porque eu amo essa HQ com todas as fibras do meu ser. Pra quem não sabe, Gerard Way é o ex-vocalista da banda emo My Chemical Romance que foi formada em 2001 e permaneceu juntos até 2013. Eu era e sou até hoje completamente apaixonada por eles quando era menor, aquela época em que odiamos todo mundo e sentimos raiva do mundo sabem?


Pois bem, eis que eu descubro que a HQ dele ia ser lançada no Brasil, inclusive as ilustrações são de um brasileiro 一 Gabriel Bá, e eu fiquei louca para ter e ler o quanto antes. Não vou saber falar se demorou para eu conseguir ganhá-la, mas o importante é que eu ganhei ela do meu pai de aniversário e ela chegou bem no dia que tava ficando mais velha. BAITA PRESENTÃO! Obrigada pai! Acho que não deve ser surpresa que eu li tudo num dia só! E reli muitas vezes depois, inclusive minha edição tá toda surrada... tentei fazer outras pessoas se interessarem pela história mas não tive sucesso. Na época eu só tinha amigos que não tinham nada a ver comigo e não curtiam o som do My Chemical Romance e muito menos gostavam de ler.

Mas esse momento finalmente acabou porque eu estou aqui pra falar dessa história massa que todos deveriam dar uma chance, mesmo que nunca tenham escutado falar da banda ou do Gerard ou do Gabriel ou que nunca tenha lido uma HQ 一 eu mesma nunca tinha tido contato até ler Umbrella Academy.

Bom, a história é a seguinte:
Em um dia, sem explicação nenhuma, 43 crianças extraordinárias nasceram de mulheres que não apresentavam sinais de gravidez em lugares aleatórios ao redor do mundo. As que sobreviveram foram abandonadas ou entregues para adoção. Sir Reginald Hargreeves rastreia e adota o maior número de crianças possível. E encontra apenas sete delas. Ao ser questionado do porque ele fez isso ele diz apenas que é para salvar o mundo.


Ninguém fica sabendo dessas crianças até que, 11 anos depois, elas salvam o mundo de um ataque da Torre Eiffel. Mas a nossa história acontece de fato 20 anos depois desse ocorrido. Agora já adultos, a família de super-heróis precisam se juntar novamente para o enterro de seu pai e são forçados a trabalharem juntos para salvar o mundo mais uma vez.

Umbrella Academy é muito mais do que uma história de super-heróis, é um drama familiar.
As crianças não conheceram outra vida a não ser aquela onde são obrigados a salvarem as pessoas, sem contar que ser um humano com poderes não deve ser lá muito fácil. Ou não ter poderes quando se espera que você tenha. Esse é o caso da Vanya, ou Número Sete, a única da família que não tem nenhum poder e por isso se sente deslocada no meio de seus irmãos.

Por conta disso, Vanya acaba se tornando a vilã principal da história.
Ela se junta a Orquestra dos Malditos depois de não achar conforto com aqueles que se dizem sua família e depois de um tipo de lavagem cerebral se torna a líder dos músicos que querem acabar com o mundo. Ela vê ali uma forma de vingança.

A estrutura do quadrinho me fascina pela forma como são apresentados cada um dos mesmos da Umbrella Academy, nunca de forma completa mas de forma que nós podemos entender um pouco os motivos que os levam ser do jeito que são. Cada um tendo que enfrentar seus próprios problemas com relação a vida ou a seus poderes que são completamente diferentes um dos outros.


Noto que toda a hostilidade encontrada nessa família tem a ver com o fato de que todos eles foram forçados a seguir a vida de herói e é um fardo muito grande para ser jogado em crianças que depois acabam se tornando adultos infelizes.

As ilustrações são lindas e muito bem encaixadas no tom da história, comparando com as ilustrações originais do Gerard Way, que aparecem nos conteúdos extras da edição, consigo ver que essas funcionaram muito bem. Não sei dizer que na edição mais recente possui algum outro conteúdo a mais, mas essa minha mais antiga traz além da história principal, duas outras histórias curtas.

Sinceramente, eu não faço ideia de como sobrevivi sem ler a continuação logo de cara. Demorei anos para comprar o volume 2 e quando penso nisso fico impactada. Está tudo em nossa cabeça no final das contas... bom, logo mais trago a resenha do volume 2! E foi uma grande notícia para mim quando soube que a Netflix ia fazer a adaptação para série, está prevista para ano que vem e eu estou SURTANDO! Preciso logo! Espero que seja boa como as HQ's.

Sem comentários:

Enviar um comentário